12 Aug 2020

A classificação pela Organização Mundial da Saúde (OMS) dos surtos de COVID-19 como pandemia em março de 2020 e a crise econômica associada à expansão da doença produziram um senso de ruptura [1]. Nesse novo horizonte, a doença é agora um fenômeno mundial, propulsor de transformações globais. Este texto apresenta algumas das lições da sociologia histórica e das teorias do sistema-mundo, a fim de situar a pandemia de COVID-19 na longa relação entre sociedades, seus espaços e epidemias [2]. Ao colocar a questão em uma perspectiva histórica e sociológica abrangente, essas literaturas moderam a percepção de ineditismo e nos recordam da perpétua r...

10 Aug 2020

 Foto: Arquivo Celso Furtado

Em julho de 2020 se completaram 100 anos de nascimento de um dos maiores economistas brasileiros. O paraibano Celso Furtado foi um dos protagonistas do pensamento econômico brasileiro e das ações públicas governamentais no século XX, sendo, sobretudo, uma pessoa de pensamento e ação, elementos tão fundamentais e escassos nesse momento de crise sanitária e social.

Destaco dois conceitos que estiveram inquietos ao longo de sua vida intelectual e que podem ser alicerces para medidas pós pandemia. O das estruturas do subdesenvolvimento e o de centros de decisão. Celso Furtado entendia que o subdesenvolvimento era uma co...

7 Aug 2020

Começo minha exposição esclarendo que, em 2008, quando defendi minha dissertação de mestrado sobre o pensamento político de Wanderley Guilherme dos Santos, não havia propriamente nenhum estudo sobre a obra desse autor. Depois disso, foram publicados o livro organizado pelo Otávio Dulci, Leituras críticas sobre Wanderley Guilherme dos Santos, de 2013, e dois artigos, o meu próprio, “A poliarquia brasileira e a reforma política: análise da contribuição da obra de Wanderley Guilherme dos Santos à teoria política”, de 2014, e o do Christian Lynch, mais recentemente, “Um pensador da democracia: a ciência política de Wanderley Guilherme dos Santos”...

O período entre 2014 e 2019 produziu vitórias eleitorais para candidatos ultranacionalistas em várias democracias, entre eles os atuais presidentes dos Estados Unidos e do Brasil. No caso dos EUA a surpreendente vitória de Donald Trump em 2016 é considerada técnica, dado que ele perdeu o voto popular para sua adversária, do Partido Democrata, Hillary Clinton. No entanto, ele ganhou o “colégio eleitoral” (uma maioria absoluta de votos alocados por estado) por conta da localização geográfica de eleitores ao seu favor. Crucial nesse processo foi o papel dos “rustbelt five”, ou seja os cinco estados historicamente industriais do “Midwest” (região...

2 Aug 2020

Como parte da comemoração de dois anos da Horizontes ao Sul, inauguramos uma contribuição coletiva de nossa equipe editorial. Nossa coluna de indicação de leituras pretende reunir,  mensalmente, um conjunto de indicações de livros, seguidas de um breve comentário sobre cada obra.

No final de maio de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) colocou a América do Sul como epicentro da pandemia da Covid-19, especialmente devido ao grande número de casos de infectados e de mortes no Brasil [1]. No entanto, juntamente com Guiana e Suriname, o Uruguai e o Paraguai têm o menor número de casos da região. Além disso, ambos foram os primeiros países da América do Sul a fechar as fronteiras, depois da Argentina.

Please reload