20 Dec 2019

São Paulo, madrugada de 1º de dezembro, jovens curtem o baile da DZ7, festa de rua que ocorria na favela de Paraisópolis[1]. A música é interrompida por uma incursão da Polícia Militar do Estado de São Paulo, que segundo comunicado oficial estaria buscando dois homens em uma moto, acusados de alvejar viaturas durante aquela mesma madrugada. Desde tal relato, o encontro entre os oficiais e o grupo de jovens parece inesperado, inarticulado. Porém, o saldo da busca são 9 jovens mortos, de idade entre 14 e 23 anos. O que teriam tais jovens a ver com a pretensa busca? Tal incursão tomou proporções letais de forma realmente inesperada...

20 Dec 2019

Sinéia Wapichana concedeu uma entrevista durante a Conferência Brasileira de Mudança do Clima em Recife. Nela, sistematiza cinco ensinamentos do Conselho Indígena de Roraima no trabalho com o tema de mudanças climáticas. Para ela, os indígenas da Amazônia brasileira tem um grande acúmulo nesta discussão e é o momento de incidir em outras regiões, como o nordeste, que também sofre as consequências das alterações climáticas. Conheça a seguir as reflexões Sinéia Wapichana. A entrevista e a edição são de Lívia Alcântara, comunicadora da Operação Amazônia Nativa (OPAN)...

17 Dec 2019

Tanimbuca com idade estimada em mais de 600 anos localizada na sede do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, em Manaus.

Foto de André Amud Botelho

Se o leitor das linhas que seguem desenvolve uma tese ou se já desenvolveu, sabe como os processos de trabalho – pesquisa e escrita – são tomados por uma certa angústia que é comum àqueles que, de modo geral, se envolvem com um trabalho de longo termo, anseiam por terminá-lo, mas também têm clareza sobre a importância de seguir burilando seus achados e formulações. A tensão entre o tempo dos fazeres acadêmicos e o da busca por sínteses quanto às urgências impostas pela realidade possui contorn...

12 Dec 2019

Modernidade limpa. Potência econômica. Harmonia social. A imagem que o agronegócio oferece de si mesmo exclui deliberadamente sua outra face: os trabalhadores. Nos geométricos campos verdes de suas publicidades, por onde transitam máquinas, voam drones e algum cientista feliz controla algo com seu tablet, a grande burguesia agrária acredita e faz crer que, além de “alimentar o mundo”, torna realidade o velho sonho empresarial de uma produção sem operários. Não nos detenhamos no fato de que em nossos queridos campos latinoamericanos raramente há sinal para o tablet; que quase toda  essa tecnologia é produzida por indústrias estrangeiras; e que...

[Observação: este ensaio é direcionado às pessoas que assistiram ao filme Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles]

A colonialidade é o lado obscuro da modernidade. Uma é a contraface da outra. O pressuposto, explicado por Walter Mignolo e seguido pelos teóricos do pensamento decolonial[1], evidencia que a promessa de uma humanidade emancipada, firmada nos contratos sociais, coexistiu com a sujeição de indígenas, negros, negras e demais habitantes do “Novo Mundo”.

O paradigma da emancipação/regulação pelas leis que levariam os indivíduos à liberdade civil não se colocava em contradição com o da violência empregada nas colônias. É q...

Nos últimos anos, houve uma ampliação nos estudos sobre as relações do Brasil com países africanos, nas áreas da Cooperação Internacional para o Desenvolvimento, da Cooperação Sul-Sul, dos Estudos Agrários e das Ciências Sociais como um todo. Os países falantes da língua portuguesa foram o foco dos trabalhos que, obviamente, refletiam a guinada para África da política externa dos anos Lula da Silva (2003-2010). No entanto, poucas pesquisas incitaram uma reflexão sobre a posição de mulheres e, menos ainda, sobre o papel de investigadoras negras em trabalho de campo nestes países...

Please reload