EDITORIAL n. 5, 2020: BALANÇO E PASSOS FUTUROS



Diferentes versões coloridas da nova logo da Horizontes ao Sul, desenvolvida por Ella Monstra




O ano de 2020 certamente ficará marcado na história da humanidade como um período de sacrifícios e perdas. A pandemia do novo coronavírus nos privou do contato com amigos, amigas, amigues e familiares, das relações humanas mais elementares, do acesso às diversas formas de sociabilidade. No Brasil, a crise sanitária agravou as pregressas crises social e econômica. Mais de cento e oitenta mil brasileiros e brasileiras já perderam suas vidas - não são apenas números. Outras milhares de pessoas perderam suas fontes de renda no país. As chamas consumiram o cerrado e a floresta amazônica, produzindo uma catástrofe ambiental, como uma tragédia anunciada. Tudo isso sob o olhar negligente de um governo federal cujo projeto político aparenta ser fundado no desejo de morte, destruição e autoproteção.


Em meio a essa conturbada conjuntura e não livre de percalços, a Horizontes ao Sul (HaoS) completou, em junho, dois anos como uma ferramenta de divulgação em ciências sociais, publicando pesquisas, ensaios, entrevistas e trechos de livros, com um pé também na literatura, entendendo seu papel lúdico e político, com a edição de resenhas literárias, dicas de livros, contos e poesias. A HaoS segue sendo um projeto voluntário e sem fins lucrativos que objetiva contribuir para a circulação de ideias com textos que abordem temas com relevância social e política. Mais do que nunca, reafirmamos nosso compromisso com a difusão de pensamento crítico alinhado aos ideais anticapitalistas, feministas e antirracistas e ao combate de toda forma de preconceito, exclusão e dominação.


Este foi um ano de muitas novidades para a HaoS. Para marcar nosso aniversário de dois anos, criamos uma newsletter [1], uma coluna mensal de dicas de leituras [2] e organizamos lives sobre divulgação científica, artes e literatura [3]. Ao longo do segundo semestre, realizamos sorteios de três livros: Torto Arado, de Itamar Vieira Junior (Editora Todavia), Friedrich Engels 200 anos: ensaios de teoria social e política, organizado por Theófilo Rodrigues (Editora Anita Garibaldi), e Mulheres, Poder e Ciência Política: debates e trajetórias, organizado por Flávia Biroli, Luciana Tatagiba, Carla Almeida, Cristina Buarque de Holanda e Vanessa Elias de Oliveira, no bojo da Associação Brasileira de Ciência Política - ABCP (Editora Unicamp). Entre os textos publicados em 2020, três envolvem livros que foram finalistas do último Prêmio Jabuti - resenhas de Essa Gente, de Chico Buarque (Companhia das Letras) e de Torto Arado, e um texto relacionado a O novo conservadorismo brasileiro: de Reagan a Bolsonaro, de Marina Basso Lacerda (Editora Zouk).


Também neste ano, coordenamos uma série com dezenas de publicações sobre a pandemia, articulamos parcerias com o Observatório Político Sul Americano (OPSA) do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP-UERJ) e com o Núcleo de Estudos sobre a Democracia Brasileira (NUDEB) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ainda, publicamos um dossiê temático sobre a Covid-19 em parceria com professores e professoras da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). Isso tudo em meio à editoração e à publicação de textos variados. Encerramos o ano com um total de 97 textos publicados, sendo 47 deles escritos exclusivamente por mulheres - o que consideramos um grande feito, em meio às tantas desigualdades de gênero que perpassam a produção e a divulgação científica. A página recebeu mais de 80.000 visitas, tendo um crescimento significativo durante o período de lançamento da série de textos sobre a pandemia. Abaixo listaremos as dez publicações mais acessadas de 2020.


Com este editorial (o terceiro do ano [4]), também pretendemos apresentar a nova logo da Horizontes ao Sul, desenvolvida por Ella Monstra (@monstrava). Monstra é multiartista e integrante do coletivo Terra Prometida, e a ela agradecemos pelo trabalho desenvolvido. Esta nova e linda logomarca traz o traço do “H” expandido, tentando simbolizar um horizonte, e um “S” em alguma medida mais fluido, pensando no sul (ou, como diriam pessoas hispanohablantes, nos sures) que nos apontam caminhos. Quisemos, com a logo, representar também o nosso espírito: de uma revista comprometida com a divulgação científica, sem ser engessada por uma linguagem estritamente acadêmica. Para manter a cara de nosso site, pensamos na logo principal em preto, mas também quisemos trazer opções coloridas. A paleta de cores foi escolhida por preferência de gosto, mas há uma simbologia por trás: o roxo nos remete ao feminismo, o azul ao horizonte do oceano e o vermelho às esquerdas de modo geral.


Gostaríamos de anunciar que, recentemente, passamos por uma reformulação na equipe editorial. Há poucos meses, saíram do grupo Guilherme Marcondes, Luna Ribeiro Campos e Simone Gomes. E, hoje, Vitória Gonzalez também se despede da Horizontes, depois de ter participado ativamente da reformulação da nossa logo e da escrita deste editorial. Dessa forma, seguimos André Felix, Leonardo Nóbrega, Marcia Rangel Candido e Rafael Rezende. Agradecemos imensamente a Guilherme, Luna, Simone e Vitória pela dedicação à revista nos últimos tempos - Luna, em especial, desde o início da HaoS. Não teríamos chegado a esses números sem o trabalho primoroso deste quarteto, que não apenas se dedicou à edição - pensando e fazendo a revista -, mas também escreveu textos importantes da história da Horizontes.


Esse ano como um todo, mas especialmente os últimos meses, foram extenuantes para todes. Nós, da Horizontes, tocamos este projeto coletivo em consonância com nossos tantos outros projetos individuais e com tarefas de cuidado que se exacerbaram durante a pandemia. Precisamos de descanso para recarregar as energias e avaliar os próximos passos. Assim, a revista entrará de férias de agora até o começo de fevereiro. Com isso, ficaremos um curto período de tempo sem nenhuma publicação. Prometemos retornar com novidades que farão da HaoS uma plataforma ainda melhor para as pessoas que nos leem e para aquelas que colaboram com textos para nossa querida revista. Podemos adiantar uma das inovações de 2021: expandiremos a coluna Horizontes Indica, que deixará de ser exclusivamente voltada à literatura e passará a apresentar indicações de filmes, séries, podcasts e artigos.


A HaoS continua, agora com um time mais enxuto, ciente dos desafios à frente, mas com a certeza de que vamos aprendendo a lidar com os desafios da divulgação e da editoração independente - em um espaço construído com muita dedicação e afeto. Aprendemos muito com quem já passou por aqui, com as e os que ficam na equipe, com quem provavelmente ainda chegará, com as pessoas que contribuem com textos e com quem nos lê. Torcemos por melhores ventos para o continente. Enquanto tempos mais leves e com mais calmaria não chegam, seguimos firmes e fortes. Esperamos que sigam conosco.



Com afeto,


Equipe Editorial Horizontes ao Sul


André Felix

Leonardo Nóbrega

Marcia Rangel Candido

Rafael Rezende



NOTAS


[1] A newsletter mensal compila todos os textos publicados na HaoS durante aquele mês. Para se inscrever, basta acessar este link.


[2] Confiram aqui as colunas com indicações de leituras da HaoS já publicadas (#HaoSIndica): n.1, n.2, n.3, n. 4.


[3] As lives estão salvas em nosso Instagram e podem ser vistas aqui: entrevistas com Marianna Albuquerque (conduzida por Leonardo Nóbrega), Ella Monstra (conduzida por Guilherme Marcondes) e Itamar Vieira Jr. (conduzida por Vitória Gonzalez).


[4] Os dois editoriais anteriores podem ser lidos aqui: março/2020 e junho/2020 (Dois anos de HaoS: por novos horizontes e outros junhos).


Os dez textos mais lidos de 2020:


  1. FONTES, Bárbara de Souza. “Como voltar para a escola após a pandemia?”. Disponível em: https://www.horizontesaosul.com/single-post/2020/03/26/COMO-VOLTAR-PARA-A-ESCOLA-APOS-A-PANDEMIA

  2. KENDRICK, Karen. “É para isso que serve a sociologia?”. Disponível em: https://www.horizontesaosul.com/single-post/2020/04/03/%C3%89-PARA-ISSO-QUE-SERVE-A-SOCIOLOGIA

  3. LUDMER, Juliana. “Uma viagem à água negra: resenha de Torto Arado, de Itamar Vieira Jr”. Disponível em: https://www.horizontesaosul.com/single-post/RESENHA-TORTO-ARADO

  4. BALLESTRIN, Luciana. “O Sul Global como projeto político”. Disponível em: https://www.horizontesaosul.com/single-post/2020/06/30/O-SUL-GLOBAL-COMO-PROJETO-POLITICO

  5. ROCHA, Camila; MEDEIROS, Jonas. “'Vão todos tomar no...': a política de choque e a esfera pública”. Disponível em: https://www.horizontesaosul.com/single-post/2020/04/27/VAO-TODOS-TOMAR-NO-A-POLITICA-DO-CHOQUE-E-A-ESFERA-PUBLICA

  6. MARCONDES, Guilherme. “Anticorpos para o combate ao vírus colonial: algumas ideias a partir da arte”. Disponível em: https://www.horizontesaosul.com/single-post/2020/04/29/ANTICORPOS-PARA-O-COMBATE-AO-VIRUS-COLONIAL-ALGUMAS-IDEIAS-ATRAVES-DA-ARTE

  7. ÁVILA, Gabriel da Costa. “O avesso do negacionismo: armadilhas ideológicas na história das ciências”. Disponível em: https://www.horizontesaosul.com/single-post/2020/04/21/O-AVESSO-DO-NEGACIONISMO-ARMADILHAS-IDEOLOGICAS-NA-HISTORIA-DAS-CIENCIAS

  8. MEDEIROS, Josué. (2020), “Por que Bolsonaro desafia a pandemia?”. Disponível em: https://www.horizontesaosul.com/single-post/2020/03/26/POR-QUE-BOLSONARO-DESAFIA-A-PANDEMIA

  9. BARBOSA, Pedro. (2020), “A Pandemia reforçará o Estado de bem-estar?”. Disponível em: https://www.horizontesaosul.com/single-post/2020/05/05/A-PANDEMIA-REFORCARA-O-ESTADO-DE-BEM-

  10. ARAUJO, Marcella. “Esboço de crítica do discurso de 'guerra contra o coronavírus”. Disponível em: https://www.horizontesaosul.com/single-post/2020/03/15/ESBOCO-DE-CRITICA-DO-DISCURSO-DE-GUERRA-CONTRA-O-CORONAVIRUS




Equipe HaoS


Relacionados